Pelas florestas, povos indígenas, tradicionais e pelo Brasil: Pare Belo Monte



Deroní Mendes - Domingo estava dando uma olhada passeada pela internet para não perder o costume de "carregar pedra enquanto se descansa". Eis que vejo no Blog Conversa Afiada do  Jornalista paulo Henrique Amorim a notícia ABIN identifica as ONGs estrangeiras que boicotam Belo Monte.  

Não sei se perdi alguma parte da piada...Mas creio que ele não se referia ao mesmo Belo Monte e Código Florestal.

Quem clicar no link acima e assistir o vídeo verá que não parece não se tratar do mesmo Belo Monte. Pois segundo PH:
"Como se sabe, Belo Monte será a terceira maior hidrelétrica do mundo, que não vai alagar uma única moradia, um puxadinho, uma lavoura de indígena brasileiro.


E significará um passo decisivo na estratégia para o Brasil assegurar uma matriz energética limpa, renovável – e genuinamente nacional.

Essas organizações identificadas pela ABIN mantêm uma relação de afinidade ideológica estrutural com os grupos “verdistas” que se opõem, por exemplo, ao Código Florestal.

O Código, da mesma forma, cria o marco regulatório que preserva a integridade patrimonial do pequeno agricultor e assegura a expansão do grande empreendedor agrícola genuinamente brasileiro.

Atacar Belo Monte e acusar o Código de “perdoar o desmatador”e Belo Monte de “monstro” que vai “destruir a floresta” são a cara e a coroa dos mesmos interesses não-brasileiros.

O “verde” é a nova ideologia Metropolitana (...). Paulo Henrique Amorim


Se você como eu e milhares de pessoas concorda com o vídeo e acredita que Belo Monte será um desastre  ambiental e social sem precedentes para a Amazônia e para o Brasil.  Se você mora em São Paulo ou estará lá no dia 17 de julho participe da


MANIFESTAÇÃO CONTRA A USINA DE BELO MONTE E O NOVO CÓDIGO FLORESTAL


Hora
domingo, 17 de julho · 14:30 - 19:00

Localização
Vão Livre do Masp
Avenida Paulista, 1578 - Cerqueira César
São Paulo, Brazil

Criado por

Mais informações
Porque queremos ser ouvidos;
Porque não aceitamos as decisões tomadas pelo governo para construção da Usina de Belo Monte;
Porque não aceitamos as mudanças propostas para o novo Código Florestal;
Porque sabemos o que está por trás destas políticas desenvolvimentistas à custa da degradação ambiental e exclusão social.
É por isso que vamos à rua!!!

Para saber mais:
http://brasilpelasfloresta​s.blogspot.com/
http://www.xinguvivo.org.b​r/
http://www.socioambiental.​org/esp/bm/index.asp
Vídeo didático sobre o novo Código Florestal - http://www.youtube.com/wat​ch?v=p_3tXpu1-IM
http://www.senado.gov.br/n​oticias/especialistas-cond​enam-combustivel-fossil-e-​debatem-alternativas.aspx
http://www.sosflorestas.co​m.br/o_que_fazer.php
http://www.ecopolitica.com​.br/2011/06/02/belo-monte-​desmoraliza-o-licenciament​o-ambiental-no-brasil/
http://opaymbere.wordpress​.com/2011/06/05/iirsa-inte​gracao-para-quem/
http://www.cartamaior.com.​brtemplatesmateriaMostrar.​cfm/?materia_id=17907

PRINCÍPIOS

O Movimento Brasil – Pela Vida nas Florestas é um movimento apartidário, sem vínculos com instituições e empresas, apenas parcerias e apoiadores. Ele surge como uma demanda da sociedade pela conservação do patrimônio ambiental e étnico do Brasil, tendo em vista a sua importância para a sustentação da sociedade humana em todas as suas dimensões.

A equipe de organizadores do movimento foi formada a partir de uma iniciativa voluntária e está aberta para incluir novos membros dispostos a contribuir com o crescimento e maturidade do coletivo.

Os princípios e objetivos foram elaborados pelos organizadores voluntários e passará por modificações conforme demandas de seus participantes, organizadores ou sociedade civil.

A parceria com entidades e ONGs que compactuem com os mesmos princípios e objetivos do movimento é tida como substancial para o fortalecimento do movimento.

Apesar de ser apartidário, o movimento está aberto à participação, durante a organização e realização do evento, de movimentos partidários, desde que eles sejam previamente consensuado com os organizadores e que os objetivos da participação do partido compactue com os princípios do movimento. Para manter clara a identidade do movimento como apartidário, os organizadores não aprovam a utilização de material de divulgação do partido durante a realização do evento.

Os organizadores devem elaborar estratégias para atingir toda a sociedade, atentando à importância de que essas estratégias acrescentem mais credibilidade ao movimento perante a população.

OBJETIVOS

Conscientizar e sensibilizar a sociedade civil sobre a posição extremamente impactante do governo em relação às frágeis questões socioambientais no Brasil.

Apontar a seus participantes e à população em geral formas legítimas de pressionar o governo sobre decisões que afetem a integridade ecológica das florestas e seus habitantes.

Informar e aprofundar o conhecimento dos participantes do movimento e da população sobre as mudanças e impactos que a aprovação do Novo Código Florestal pode causar.

Informar e aprofundar o conhecimento dos participantes do movimento e da população sobre os impactos socioambientais que a construção da usina de Belo Monte trará ao ecossistema e população local.

Apoiar e fortalecer entidades e movimentos que compartilhem dos mesmos princípios que o Movimento Brasil – Pela Vida Nas Florestas

Pressionar o poder público para que decisões que afetam a totalidade do povo brasileiro ocorram somente após a difusão de informações, o debate e a participação da população no processo deliberativo, mediante mecanismos de participação democrática previstos na Constituição Federal – como referendos, plebiscitos, audiência pública, etc.


Share:

0 comentários