Deixando o barco correr

Já fazem 1 mês que não me visito. Digo, que não visito o blog. O meu blog que criei com tanto carinho... Pois é, tá tudo muito corrido nos últimos tempos. Muita atividade, muita viagem. Ai, minha coluna. Fico tanto tempo nas poltronas de ônibus que nem dá vontade de sentar se não for tão necessário.


Deu muita saudade de casa. Nossa, como é bom voltar prá casa. Melhor ainda, voltar e ter alguém lhe esperando com aquele sorrisão, tão ancioso de saudade quanto você na rodoviária ou no aeroporto.


As andanças foram ótimas e produtivas, não nego. Mas, também foram bem cansativas. Porém, Algumas até sem muito propósito. Estressei em alguns momentos, mas em fim, a vida tem dessas coisas. E a gente aprende muito com esses improvisos, desavisos e rompantes externos. Estamos sujeito. Fazer o que?

Confesso que as vezes fica difícil entender ou aprender nesses momentos. Mas, uma coisa é verdade: As vezes é melhor não ter o que dizer ou simplesmente, deixar de dizer e deixar o barco correr. Dar um tempo...relaxar e se importar apenas com o que fato te faz bem ou quem lhe quer bem. O resto o tempo cuida, acalma, conserta, cicatriza.



Então, por esses tempos, estou deixando meu barco correr. E é muito interessante perceber o quanto é importante deixar de dizer. É, saber ouvir é uma ótima virtude, mesmo quando se tem vontade de fazer o contrário: sair, tapar os ouvidos, dizer o que se pensa, quer e acredita, etc. É, é uma tarefa difícil, árdua e requer muuuuuuita prática.


Ouvir é muito interessante e igualmente, importante. Nos dá a oportunidade refletir durante e depois e também a oportunidade de perceber o quanto há pessoas sábias, amavéis, inteligentes, solidárias, espertas, chatas, medíocres, inescrupulosas, pé no ...


Em fim tem tudo, quando estamos muito interessado em marcar nossa posição e opinião as vezes não conseguimos perceber estas qualidades...


Então, gentes, estou tentando apenas ter dias e noites sempre melhores. Estou seguindo a orientação do Fernando Pessoa que sabiamente escreveu "Não se acostume com o que não o faz feliz, revolte-se quando julgar necessário." Pois é, me revoltei, mas dessa vez a revolta foi comigo mesma. Sim, isso mesmo, porque alguém já escreveu também que NINGUÉM TEM O PODER NOS COLOCAR PRÁ CIMA OU PRÁ BAIXO SEM A NOSSA PERMISSÃO. Mais ou menos isso. Deu prá entender, né?


Bem, é isso. Na verdade não era isso quando comecei. Sentei aqui prá escrever sobre minhas andanças nos últimos tempos, mas ...

Share:

1 comentários

  1. Olá, Dê... Acho que o mês de maio foi um divisor de águas. Aniversário seu, da sua mãe, da sua irmã, muitas viagens e dilemas. Mas a partir de agora vem as decisões... Porque o seu futuro é brilhante e bonito, como você...
    Você não tá deixando o barco correr não, minha flor. Está tomando as rédeas da sua vida...

    ResponderExcluir