À DEVÂNIA, COM CARINHO


Nossa, já fazem alguns dias que não visito, nem posto nada nesse blog. É, tá meio abandonado, porém, por incrível que pareça algumas pessoas que o visita sentiram esse abandono. E me instigaram a voltar, logo. Pois é, fiquei feliz e voltei correndo, (risos).

É bem verdade que também senti vontade de escrever algo, mas acabava fazendo outra coisa, mais urgente, afinal isso aqui é um lazer. Momentos relax, altas hora, como agora. Ou então, em horas bem stressantes que me sinto meio perdida.

Bem, mas hoje vou falar, digo escrever um pouquinho sobre minha irmãzinha mais nova e querida, Devânia (espero que ela não se zangue). É isso mesmo, essa moça linda da foto. Humm, to meio sem inspiração. Na verdade é que são tantas coisas que queria falar sobre ela, que não sei por onde começar.

Mas também, já fazem vinte uns anos que a conheço, e mais da metade deles vivemos juntas, no sítio e depois em Vila Bela. Então, já dá prá imanginar quanta coisa boas e ruins já passamos e compartilhamos.

Bem, mas vou tentar falar das coisas boas. Sabem que o que é? Bem, no dia 26 ultimo (sexta-feira) foi aniversário dela, liguei prá parabenizá-la e quase estrago a surpreza que estavam preparando prá ela lá em Vila Bela, mas disfarcei bem, acho.

Pois é, essa moça linda e jovem, mãe dessa mocinhas lindas (Geovana e Flavinha), é super especial, uma pessoa de fibra.. E não é só porque é minha irmã, não.

Nossa, hoje graças a Deus ela é só alegria, mas já passou por momentos difíceis, como por exemplo, ter um filho muito jóvem e 3 anos depois vê-lo morrer em seus braços por falta de atendimento médico. Ter que superar a dor a ainda, enfrentar o julgamento injusto de alguns por ser culpada por isso.

Mas, ainda bem que depois da tempestade vem o sol. E ela realmente merecia e merece muito, todas as conquistas e bênçãos que Deus tem derramado na sua vida.

Penso que ela é feliz, dá prá ver. E essas fofuras são parte de sua felicidade. Uns amores, difíceis de se lidar, mas só pelos sorrisinhos, já ilumina tudo.

To pensando, aqui como as coisas mudam. Ou melhor como a gente muda. Na nossa infância, acho que eu e ela fomos as irmãs que mais brigaram, apanharam e ficaram juntas de castigo. E mãe caprichava nos castigos e nas surras...Eita, dona Benedita (risos).

Mas hoje, somos adultas e somos irmãs e amigas, com alguns desentendimentos é claro, Mas normal. Hoje, aqui longe, sinto muita saudades dela. Na verdade, dela e de toda família, mas digo dela, porque é sobre ela este post.

É, acho que tá bom, vou parar por aqui, pq já tá me dando aquele aperto no coração, um nó na garganta, é saudade, mas acaba levando a outras coisas...

Devânia, felicidades. A gente se vê na semana que vem....



Deroní Mendes


Share:

2 comentários

  1. oi, estou com saudades dos seus textos. escreve mais...

    ResponderExcluir
  2. Oi André,

    Bom saber disso. Estou teantando voltar a alguns dias, mas...são tantas coisas com prazo urgente, que acabo sempre deixando prá depois. Mas volto logo, talvez hoje.

    abs
    Deroní Mendes

    ResponderExcluir