COISAS QUE SÃO DIFÍCEIS VALEM A PENA?

Pessoas, outro dia (semana passada) o Abílio do Araguaia, me deu uma idéia de um dia escrever um post sobre "AS COISAS QUE VALEM A PENA, MAIS DÁ TRABAI". É Abílio, eu tentei na minha volta prá casa, mas por incrível que pareça, embora tenha tantos provérbios sobre isso, meu cérebro parecia estar meio atrofiado para o tema. Até que tentei... Pensei por algumas horas no aeroporto de Santarém-PA, e depois por mais um pouco em Manaus.

Confesso que durante o vôo passava muita coisa sobre o assunto pela minha cabeça a cerca do assunto, inclusive, no trabalho que estava dando voltar prá casa, e que essa ida e volta Cuiabá Santarém-PA, além de proporcionado tardes maravilhosas em Alter do Chão nas águas e Praias do Tapajós, rever os companheiros do Pará e renovar os compromissos profissionais na execução do PROFOR 163 e no fortalecimento da participação social no Plano BR 163 Sustentável, valeu a pena, mas deu um trabalhão danado, e continuava dando, e tava me deixando até meio irritada, porque são muitas horas de molho nesses aeroportos.


Ainda assim, voltar prá casa era quase um sonho, acreditam? Tava com saudades do meu lugar, meu canto, minha cama,... Tanta coisa ainda prá ver, rever, ouvir, contar, conhecer, viver, tocar, lutar, chorar, alegrar, refletir... e é claro agir e agilizar...

Sabe, pensei rapidinho aqui (é sério, não parece, mas as vezes penso rápido sim) e imaginei que PROFOR 163 PLANO BR 163 SUSTENTÁVEL, não é uma coisa comum e universal que todo mundo sabe o que é e conhece. Aliás, são coisas que muito menos pessoas do deveriam saber sabem ou conhecem. Então, peço licença, mas vou ter que fazer uma pausa e um “ ctrl+c + ctrl+ v “ prá dizer o que são. Confesso que não sou muito a favor dessa técnica (“ ctrl+c + ctrl+ v “ ), mas agiliza prá caramba.

Ei, denovo acabei de mudar de idéia, não vou mais fazer o “ ctrl+c + ctrl+ v" sobre o Profor 163 e o Plano BR 163 Sustentável, não. Se alguém não souber e no entanto, se interessar em saber de que se trata vai postar um comentário perguntando. Aí eu respondo. E até quem sabe em breve eu escrevo sobre isso, num outro post.

Então, voltando a minha perigrinação prá voltar prá casa, já que estava dando muito trabalho dissertar sobre as coisas valiosas em nossas vidas que dão muuuiitooo trabalho, mudei e idéia. Sim estava muito difícil, super difícil, essa história de coisas difíceis que valem é muuuito ampla, meu Deus não sabia que era tanto. E como tudo que amplo, ser mais específico é complicado. Pronto, decidido então. Resolvi escrever primeiro algo sobre alguém especial e específico, o Vicente Puhl, depois volto nisso.

Confesso que foi complicado começar e terminar, mas no fim deu certo e fiquei feliz até com o resultado, porque foi algo simples de coração. Com muitos erros ortográficos, é verdade (nossa como comi letras, hein? Fiquei até avexada relendo o post), mas o mais importante mesmo foi que quem visitou o blog entendeu a intenção.

Acho que a mensagem foi decodificada pelos destinatários, (pelo menos foi o que avaliei pelos comentários postados) poderia até dizer que em alguns casos também não há erro na mensagem escrita quando ela consegue fazer com que os receptores decifrem o código e entendam a mensagem. Mas não. Vou fazer isso não. Vou é arrumar os errinhos de lá.



Pois é, meu grande amigo, companheiro de trabalho e guru para assuntos de "cibernéticos" André Alves vai me ajudar...ele me consolou: “se preocupe não, tem como editar”. Uff, qui bom, ainda bem, porque to engatinhando nessa coisa de blog, ainda. Nem vou mexer, vai que acabo sumindo com os comentários... Aiaiai vou esperar ele (André) me ajudar, né?

Tá aí olha só, acabo de perceber que acabei falando, ou melhor, escrevendo sobre algo que deu trabalho mas que valeu a pena. E só pelo comentário do Vicente, valeu muitíssimo a pena... e na verdade, foi muito gratificante...
Deu trabalho chegar a Santarém, mas a estada em Alter do Chão, os banhos no Tapajós valeu a pena. Deu trabalho e me irritou um pouco, ficar tanto tempo nos aeroportos de Manaus e Brasília, mas valeu a pena ter dedicado esse tempo prá escrever algo sobre alguém que eu e tantos outros admiram tanto... ah, sim e ainda de quebra, sem sol nem fila ME IMUNISEI CONTRA RUBEOLA ...

Deroní Mendes

Share:

0 comentários